Assassinato No Expresso Do Oriente.

Como comentei no post sobre  “A Casa Torta“, Agatha Christie não passa muito tempo sem ter uma obra adaptada para outra mídia. E de fato cá estamos nós de volta a mais uma: Assassinato no Expresso do Oriente.

Não terá Spoiler.

Se A Casa Torta fez sua estréia no “Mundo das Adaptações”, o mesmo não pode ser dito sobre Assassinato no Expresso do Oriente. Esse é, juntamente com o Caso dos Dez Negrinhos a obra que mais teve versões até hoje: Tivemos os filmes de 1974 e 2001 e o longa pra TV que faz parte do seriado estrelado pelo David Suchet em 2010. Um jogo para Computador E em 2015 teve até uma versão Dorama(!) lá na Terra do Sol Nascente. Inclusive, sobre as três primeiras adaptações, vocês podem ler nesse post que fiz em 2011.

Devo admitir que tinha os pés atrás sobre esse filme. Em especial pela estranheza que o Bigode do Poirot me causou quando saiu a primeira imagem oficial. Apesar de, nos livros, ele ser sempre descrito como “extravagante”… não precisavam exagerar. Mas aos poucos fui acostumando e no filme em si, nem lembrava que o bigode estava lá.

Aliás, o Poirot do Kenneth Branagh(Precisei colar do Google esse nome) está bem legal. Tem umas duas cenas que não combinam muito com o personagem por jogá-lo correndo pra lá e pra cá sendo que o personagem é, em sua essência guiado pelas suas pequenas células cinzentas… Mas não é algo que estrague o filme. Senão daqui a pouco estarei iguais àqueles povos que não aceita nenhuma mudança na obra original.

Mesmo pra quem não conhece o livro, o que chama atenção de cara para o filme é seu elenco estelar. São nomes como o Próprio Kenneth Branagh que também é o Diretor, temos nomes do naipe de Penélope Cruz, Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Willem Daffoe…

Elenco comparável(Guardadas as proporções da época) ao do filme de 1974 que tinha Albert Finney, Sean Conery, Lauren Bacall,Ingrid Bergman, Antony Perkins… Só peso pesado.

E o melhor é que o elenco de Assassinato no Expresso do Oriente não é daqueles casos que colocam atores famosos e com nome só pra chamar público e, no filme, eles ficam meio no automático do “Vou fazer aqui pra pagar as contas”. Todo mundo manda bem e encaixa perfeitamente com o que o personagem pede. Nota 10 pra escalação.

Outro Ponto a se elogiar é o belíssimo visual. Em especial a ambientação do filme como figurinos.

Também vale a menção de que os trailers não entregaram muito. Nem mesmo dá pra saber qual dos personagens é a vítima. E em filmes(e livros) policiais, quanto menos se souber, melhor será sua experiência.

O único “senão” são pras cenas que mostram o trem em movimento . As panorâmicas são muito bonitas. Darão belos papéis de parede… Mas em sua maioria, gritam: GC!! Não sabia se estava assistindo ao filme ou jogando o jogo citado no post das outras adaptações linkado ali atrás. Não é algo que estrague o filme pois, no geral as cenas são curtas. Mas se teve algo que deu uma leve incomodada, foi isso.

No fim, como fã fiquei muito satisfeito com o filme. Uma boa adaptação do livro, um bom ritmo (Pro estilo). Recomendado.