Category Archives: dvd

Batman Vs Duas Caras

No começo de Outubro foi lançado direto pra vídeo a continuação de O Retorno da Dupla Dinâmica,  animação de 2016 baseada na clássica série do Homem-Morcego de 1966. E como aquele é pra mim, “O Batman que vale” não podia deixar de assistir.

Saúdem o Rei

allhail

Já se tornou praxe: Todo filme do Marvel Studio quando chega ao Home Video, traz um curta metragem que expande algum ponto explorado em algum filme. Até agora já tivemos “O consultor”,  “Uma coisa engraçada aconteceu no caminho para o martelo do Thor”, “Item 47” E “Agente Carter“.

Agora, com a chegada de Thor: O Mundo sombrio aos Blu-ray, DVD e afins, a tradição se mantém e temos o curta “All Hail the King (Saúdem o Rei)” estrelado por Ben Kingsley voltando ao papel de Trevor Slattery.  “Peraí, Mac! Quem diabos é Trevor??” Ok, pequeno gafanhoto. Assim como as armaduras do Tony Stark em Homem de Ferro 3; vamos por partes.

O post conterá spoilers de Homem de Ferro 3 e de Saúdem o Rei

Poder sem Limites!

Eu já falei várias vezes aqui sobre como é boa a sensação de se ver/ler algo sem expectativa alguma e acabar surpreendido positivamente.Ainda mais quando o estilo é um que você não gosta muito. Foi isso que aconteceu ao ver “Poder Sem Limites (Chronicle)”. O filme é um Mockumentário,ou seja aqueles filmes que fingem ser construídos apenas com imagens reais encontradas em alguma fita amadora. Gênero que a Bruxa de Blair popularizou e outros como o péssimo (in)Atividade Paranormal ou Cloverfield (Esse,eu não vi) seguiram o estilo.
 A história  não tem nada de mirabolante: Andrew (Dane DeHaan), Matt ( Alex Russel) e Steve (Michael B. Jordan) são três amigos que ganham super poderes e precisam lidar com isso da melhor forma possível.Claro que, para adolescentes, “a melhor forma possível” é sacanear os outros e tirar proveito deles. Com o tempo eles sentem a falta de um Tio Ben para ensinar-lhes que “Grandes poderes trazem grandes responsabilidades” ou que simplesmente : “O Poder corrompe”

Como já disse o filme é todo filmado com câmeras amadoras como a dos personagens,câmeras de segurança,televisão etc. É interessante(sempre frisando que não sou fã do estilo) mas abre um furo na história já na 1ª parte mais importante do filme. Mas relevemos. Uma coisa que particularmente me incomodou foram os efeitos especiais. em alguns momentos dava pra ver claramente que os personagens estavam pendurados com cabos(Quem for ver o trailer,a cena do ursinho dá uma noção do que estou falando)
 O jovem elenco não compromete. Destaque pro Dane DeHaan que integrará o elenco de Espetacular Homem-Aranha 2. Vendo o Andrew do ator, fico tranquilo que o Harry Osborn estará em boas mãos.
Ainda no assunto, o diretor: Josh Trank foi anunciado como o diretor do reboot(sim! Eles estão na moda) do Quarteto Fantástico. Ele já mostrou que conhece do assunto agora,vamos ver o que faz com um filme de grande orçamento.

Os filmes de heróis estão na moda tem pra todos os gostos,estilos,formas etc. Mas alguém já parou pra pensar como seria realmente adquirir super poderes de um dia pro outro? Claro, sempre terão aqueles que dirão “iria salvar vidas,ajudar o próximo,tirar gatinhos das árvores e blábláblá.” Mas cá entre nós: quem não iria querer “se dar bem” com eles?E principalmente: Saberíamos lidar com o fato de sermos mais poderosos que os outros? Isso não acabaria nos subindo à cabeça? São essas questões que movem “Poder sem limites”  e que o tornam digno de se conferir. E além o mais: é impossível ver o filme e não notar semelhanças com um obra consagrada : Akira. Realmente têm alguns pontos em comuns(e algumas homenagens bem escancaradas) é a melhor adaptação do desenho japonês que já foi(ou será) feita.
Vale a assistida.O filme já se encontra disponível em DVD e Blu-ray no Brasil. Totalmente recomendado

[Review] A Mulher de Preto

No final dos anos 1800,jovem advogado Londrino( Daniel Radcliffe) viaja para uma cidade interiorana cuidar da venda da mansão de uma senhora que havia morrido recentemente. chegando lá ele percebe que não está exatamente sozinho na casa.

O assunto “Fantasmas” sempre foi um que me interessou. não apenas no cinema, mas gosto de pesquisar o assunto como um todo. Depois de algumas bombas fétidas como Atividade Paranormal ou filme apenas “Ok” como o  Sobrenatural , eu havia perdido as esperanças nesse gênero de terror e quando houve o lançamento de “A Mulher de Preto”, eu nem vontade de ir ao cinema tive e acabei esperando o filme passar na TV pra assistir…Se arrependimento matasse, eu agora estaria sendo personagem de alguma história de fantasma contada por alguém…

Pode vir ,dona fantasma…

 Falando sinceramente,não lembro qual foi o último filme sobre o tema que me deixou grudado na frente da tela e realmente apreensivo. Esse conseguiu. Méritos pra fotografia do filme que é espetacular. Eu me senti dentro da casa,imerso naquele clima.
 E falando em clima; o jogo de câmeras, ângulos, e cortes bem feitos só fez aumentar ainda mais o arrepio quando algo fantasmagórico acontecia. Claro que tem velhos clichês como as cenas onde você sabe que vai aparecer alguma coisa onde,um segundo atrás não tinha nada e coisas assim.Mas dá pra relevar.
 E apesar de ter gostado da trilha sonora,eu a abaixaria(ou sumiria) com ela em algumas cenas. Acho que a ausência da trilha aumentaria ainda mais o clima assustador.

Dois comentários recorrentes que li sobre esse filme foram: “O Radcliffe sempre vai ser o Harry Potter” e “O final é ruim”
Por partes: Talvez quem tenha acompanhado a saga Harry Potter realmente seja difícil desassociar a imagem do ator ao do personagem. Eu, como o máximo que aguentei dos filmes do bruxinho foram  30 minutos do primeiro filme, não tive esse problema. A única ressalva que faço dele é que o Radcliffe é muito novo para o personagem. Acho que um ator um pouco mais velho funcionaria melhor. E nem falo da atuação já que ele mandou bem.
Sobre o final… eu gostei. Estava se encaminhando para o final padrão de assombrações mas dá uma virada aos 46 do segundo tempo que foi fenomenal. Sem dar spoilers acredito que o problema é que usou por base uma religião diferente do Catolicismo. e todo mundo sabem como as pessoas ficam quando mexem(ou não usam) sua religião. Pra mim, que não sou religioso não tive esse problema e adorei o final.

A Mulher de Preto é uma ótima pedida para assistir à noite, com as luzes todas apagadas. Belo suspense como a muito eu não via. Recomendadíssimo!

Resident Evil já teve dias melhores.

“Leon S. Kennedy vai a um pequeno País fictício da Europa investigar os boatos de que armas biológicas (Não. Nada de Zumbis) estão sendo usadas na guerra civil que assola o país. Quando ele acaba capturado pelos rebeldes, os boatos  acabam se confirmando e Leon agora se vê novamente distribuindo balas pra todo lado pra descobrir uma conspiração que pode afetar bem mais que o paisinho ( Bem original não?)”

Sabe quando sai um jogo novo ,seu amigo o compra o o chama pra jogar mas, como o jogo é para apenas um jogador, você(ou ele) vai ficar a maior parte do tempo apenas assistindo as Cutscenes e vendo o outro jogar? Pois foi exatamente essa a impressão que eu tive ao assistir Resident Evil Damnation. O filme,continuação de Resident Evil Degeneration de 2008, é feito com a técnica de captura de movimentos mas ao contrário de ,por exemplo, As Aventuras de Tintim onde ás vezes nem notamos que é uma animação de tão flúida,em R.E.D,alguma coisa não deu lá muito certo: A movimentação dos personagens é estranha, o movimento labial é estranho,os personagens parecem todos bêbados. Tudo muito estranho.

E as coisas complicam mais quando o Leon vai explorar algum lugar: A visão muda pra uma perspectiva em primeira pessoa que aumenta ainda mais a sensação de se estar vendo alguém jogar. Mas aí você me pergunta: Mas não tem nada de bom no filme? Sim,Tem! as cenas de ação são legais.Principalmente a luta final com o Tyrant genérico.
Não sei se é pelo fato de eu já ter abandonado a franquia Resident Evil desde o Code Verônica(Por essa razão, não fazia idfeia que a Ada ainda estava viva) quando a série desistiu do Suvivor Horror e abraçou gêneros variados mas eu gostei bem mais do Degeneration por ter mais o clima dos R.E clássicos. Talvez se você gosta dos jogos atuais pode até simpatizar com a história,os personagens ou o clima do filme(Talvez não com a animação).

Falando nisso, pelas informações esse filme vai ter ligação com o novo Resident Evil 6. E realmente ficam algumas pontas soltas que podem(ou não) ser aproveitadas no game ou em alguma futura continuação do filme.Mas isso, só quem acompanhar os dois vai poder dizer. Mas quanto a mim, eu preferia que,se forem fazer uma continuação, que usem a Claire. Não sei se os jogos explicam onde ela está, mas acho que seria mais interessante vê-la do que o Leon.

Caso não tenha visto o Degeneration, indico que vá atrás dele que é muito bom. O Damnation,veja se você faz parte dos que ainda continuam acompanhando a franquia. Mas com certeza, é melhor que os filmes de Cinema(O primeiro é legal, depois…)