Category Archives: Nostalgia

Patetadas Olímpicas.

Nessa semana se iniciaram as Olimpíadas de 2016. Mas como eu não dou a mínima para o evento, vou falar de algo legal: Do personagem  que se tornou, extraoficialmente, o símbolo Disney dos Jogos Olímpicos: O Pateta, claro.
Manual Jogos Olímpicos

 

Super-Homem II: Um Super pra se respeitar.

47cb3a6c08fae6e237982eb8c88f9b71

 

Não é segredo pra ninguém que não tenho lá muito apreço(pra não dizer outra coisa)  pelo Super-Homem. Esse negócio dele poder tudo, ter 1928495783943 tipos de poderes e afins nunca me agradou mas, como dizem que toda regra tem sua exceção, no meu caso ela tem um nome: Christopher Reeve.

Novo Peugeot em uma Corrida Maluca

Depois da Volkswagen lançar o comercial do novo Fusca e “trazer” até o Mussum de volta, agora é a vez da Peugeot abusar da criatividade e para enaltecer as qualidades do novo Peugeot 208, eles colocam o carro contra ninguém menos que a turma da Corrida maluca.
Oi?Você é novo e não sabe o que é Corrida Maluca? É simples pequeno gafanhoto: era um desenho do final da década de 60 que mostrava um bando de malucos competindo em corridas (Daí o título ) das mais hilárias. Mas se bem que, melhor do que eu falar,é vocês mesmos verem por sí só: Vão lá no Youtube que tem os episódios pra assistir.

Agora se você é velho experiente como eu e não perdia um episódio do desenho quando era criança com certeza vai gostar de ver todos aqueles personagens novamente mesmo que rapidamente. E devo dizer que o comercial está muito bem feito e divertido de se assistir.

Não sou daqueles que adoram carros mas essa onda de originalidade das empresas do segmento são muito bem vindas (A Mercedes devia aprender também) . Se continuar assim, aquele momento em que aproveitamos os comerciais pra ir “cuidar de instintos básicos” no banheiro pode estar comprometido.

Parabéns á Peugeot e à agência Y&R pela sacada.

Ps. Destaque pra Penélope (Pra lá de) Charmosa.

 

Ducktales o filme

No último Sábado aproveitei que o filme estava passando no Disney Channel e como não estava fazendo nada aproveitei pra reassistir. Como sempre quis escrever sobre ele aqui, resolvi aproveitar o momento.

 A história gira em torno de mais uma caça de tesouro empreendida pelo Tio Patinhas e a família quando a descoberta de uma lâmpada mágica, um poderoso feiticeiro e um gênio chato  vai,como sempre tornar a aventura mais fantástica(Ou não) de suas vidas.

Eu já comentei diversas vezes aqui no Clarim (e em outros Blogs/Podcasts sempre que tenho a chance) : Ducktales é o meu desenho preferido de todos os tempos! Mas no geral acho que a série deu uma caída em sua temporada final (E aqui acho que cabe a explicação de que é considerada a “1ª temporada” os episódios 1 ao 65) . Quanto à primeira temporada não há o que se criticar: É um episódio melhor que o outro já os outros episódios…
 Enfim enrolei isso tudo pra dizer que “Ducktales : O Tesouro da lâmpada perdida ” é como um episódio estendido. Infelizmente não com a qualidade da temporada de estréia. Até porque foi lançado em 1990 quando Ducktales já se encaminhava para seu final.

O filme começa muito bem com a já mencionada caça ao grande tesouro de Coli Babá com os patos passando por perigos e armadilhas até encontrar a tal lâmpada do título. Aí desanda tudo. Perde-se um tempo gigantesco com besteira. Os três patinhos e a Patrícia arrumando muitas confusões com o Geninho: o tal gênio da Lâmpada. Vou dizer uma coisa: Eu não gosto da Margarida. Acho-a uma personagem fútil. Então o que dizer de uma mini Margarida? Porque é isso que a Patrícia é: Uma personagem chata que não acrescenta em nada. E muito dessa parte insuportável do filme tem a ver com ela mas não só com ela: O Geninho também é outro personagem pelo qual você não dá a mínima. Pegando outro gênio famoso dos desenhos Disney; o Gênio do Alladin logo em sua primeira aparição já conquista o espectador e vai assim até o final. Algo qu enão ocorre com o Geninho: Durante o filme todo você( eu pelo menos) não dá a mínima pro personagem, não consegue angariar simpatia nem da sua história “triste” com o amo malvado que ele tinha. Ele me lembra um personagem obscuro da Disney : O Gominha que também veio e foi sem marcar em nada

Mas pra não acharem que odiei o filme com todas as minhas forças e não tem nada de bom nele,vamos falar  da parte boa: O grande vilão, aquele que era pra ser a principal ameaça acaba ficando em segundo plano. Aí alguém aí pergunta ; ” E desde quando isso é ponto positivo,Mac?” Eu explico ó pequeno gafanhoto: É positivo quando o vilão que rouba a cena é o divertido Dijon : Um bandido pé de chinelo que já havia aparecido nos últimos episódios de Ducktales. Se a Patrícia é responsável pelos baixos do filme, o Dijon com certeza é o ponto alto. Sempre que ele está em cena é garantia de risadas . Ainda mais que aqui no Brasil quem dubla o personagem é o  Silvio Navas, um dos grandes dubladores da época em que a dublagem brasileira ainda prestava.

 E falando em Dublagem, com o enorme tempo que Ducktales ficou longe da Tv aqui no Brasil, acabei me acostumando com a voz do Tio Patinhas sendo feita pelo Allan Young mas convenhamos que o Antônio Patiño é insubstituível. Merlock,o Vilão também está bem servido em ambas versões: Aqui no Brasil ele é dublado pelo “dublador oficial de vilões” Jorgeh Ramos e na versão original ninguém menos que Christopher Lloyd empresta sua voz ao “poderoso” mago.

 Como crítica fica o fato da traca de dubladores do Capitão Bóing. Como aconteceu na série, sai Newton Apollo e entra Júlio César. Uma pena já que a voz do Apollo ficou marcada no personagem.

No fim,  se você nunca viu “O Tesouro da lâmpada perdida” vale como curiosidade mas não espere muito: É o filme legal pra passar o tempo e matar a saudades dos personagens (Isso se faz tempo que não assiste à nada da série animada) mas não espere um novo “Tesouro dos Sóis Dourados” porque isso, ele infelizmente não é.

[Aranha 50] O Homem-Aranha e Seus Incríveis Amigos

Sei que os 50 anos do Homem-Aranha foram comemorados(Se levarmos em conta os quadrinhos, bem porcamente diga-se de passagem) ano passado. Mas devido aos meus recentes atrasos com postagens ainda fiquei devendo alguns posts referentes ao personagem então vou estender a série e continuar até acabar. Agora continuando as séries animadas e chamando os amigos pra participar.

Como comentei neste post , Homem-Aranha e Seus Incríveis Amigos era pra ter sido uma continuação da outra série animada do Aranha também lançada em Setembro de 81. Apesar das razões da divisão da série em duas emissoras diferentes ainda serem confusas,é inegável que Homem-Aranha e Seus Incríveis amigos(A partir de agora chamada de “I A” pra facilitar este pobre escriba[Usando a mesma desculpa]) eclipsou totalmente  sua “irmã” e é até hoje lembrada e reverenciada pelos fãs.

Originalmente a série era pra contar com o Aranha fazendo trio com o Homem de Gelo e o Tocha Humana mas devido a direitos autorais, já que o Quarteto pertencia a outra produtora, foi criada a personagem Flama (Que era praticamente uma Mary Jane com os poderes do Tocha) exclusivamente para o desenho. Com o sucesso que a série alcançou a personagem foi depois introduzida nos quadrinhos onde passou a integrar o grupo “Novos Guerreiros” e até mesmo fez parte de uma das 9854732643857 formações dos Vingadores.

 Se a razão da divisão da série é desconhecida, por outro lado os fatores que a levaram a ter mais fama é até certo ponto “entendível” : Os episódios eram mais dinâmicos. Por mais que eu goste da série de 81 (Sim. Sei que as duas são de 81 mas a outra acabou ficando conhecida como “Spider-Man 81” ) não dá pra negar que salvo algumas exceções os episódios eram bem arrastados. Acho que a adição dos dois personagens principais ajudou à IA ter um ritmo que sua irmã não teve. Em um podcast que gravei a algum tempo comentei que essa série capturou o espírito das histórias do Aranha dos anos 70 substituindo os problemas românticos(que nem chegavam perto da trilogia “Quem vai ficar com Mary Jane”, do Raimi) por tramas mais leves e aventurescas. Isso sem mencionar que a “química entre o trio de super heróis deu muito certo.

Participações especiais e mais divisões.

No post sobre a série de 81 eu comentei que vários heróis fizeram uma participação especial durante a série. Aqui em IA isso se intensifica e quase todos os 13 episódios da primeira temporada contava com um ou mais convidados. Entre Thor, Dr. estranho, X-Men,Capitão América,Shanna e outros,dois se destacam por interferirem diretamente com o andamento do desenho,seja dentro ou fora da tela: Eu explico: Após ajudarem o Homem-de Ferro, o trio ganha seu QG super High-Tech que acabou se tornando um dos marcos da série. O outro foi a aparição do Hulk que na verdade servia de teste para uma série animada que o Verdão iria ganhar no ano seguinte. Série esta que ocasionou outra divisão em IA. Não. Não temos mais uma série animada dividida em algum outro canal. O que ocorreu foi que,com a estréia do desenho do Hulk,a Rede NBC resolveu exibir ambas as séries em um bloco único. Apesar de continuarem independentes,em 1982 entrava no Ar “The Incredible Hulk And The Amazing Spider-Man” no ano seguinte invertia-se os heróis e tínhamos “The Amazing Spider Man and The Incredible Hulk” (Que zona, não?).

Com Hulk ou sem Hulk, IA teve 24 episódios espalhados pelas 3 temporadas(se bem que a segunda temporada foram só três episódios) e ficou marcada na memória dos fãs.
Há alguns anos atrás no Universo Ultimate(Para quem não conhece é uma versão do Universo Marvel mais atualizada e voltada para os dias atuais)  os três personagens agiram juntos em uma homenagem à série animada.
 Alguns velhos chatos  podem dizer que a série não envelheceu bem, que ela tem defeitos, que é infantil e tudo o mais… Mas eu recomendo assisti-la. principalmente para os que não conhecem a  título de curiosidade. Garanto bons momentos de diversão.