Category Archives: Retro-Reviews

Homem De Ferro 2

Dando continuidade à Maratona Rumo A Guerra Infinita chegamos ao terceiro filme do Marvel Studios. Segundo protagonizado pelo carro chefe do MCU: Tony Pinga Stark . Apesar de não estar à altura do antecessor, ainda é um bom filme.

Maratona Rumo À Guerra Infinita: Homem De Ferro

Lá se vão quase 10 anos. Em Maio de 2008 o Homem De Ferro veio para dar início ao que se tornaria conhecido como Marvel Cinematic Universe, ou apenas MCU. Em 2018 será lançado Vingadores Guerra Infinita, o 19º filme desse Universo(Sem contar curtas, seriados etc…). Mesmo que efetivamente todo esse grande arco que se iniciou em 2008 com Homem de Ferro se encerrará apenas em 2019 com o, ainda sem título, Vingadores 4 resolvi começar uma maratona para, toda semana, rever um filme. E vou aproveitar para escrever um pouco sobre eles por aqui. Nada muito elaborado. Apenas impressões de um fã agora com conhecimento do que vem pela frente.

O Homem de Ferro do futuro e o Aranha

Em um tempo muito distante, lá pelo final da década de 80, o Homem-Máquina, antigo e esquecido personagem da Marvel viaja para o “longínquo” ano de 2020 e acaba tendo de enfrentar o Homem de Ferro. Mas não. Não é de Tony Stark que estou falando: Trata-se de Arnold “Arno” Stark,Sobrinho de Tony.  Arno não seguiu os passos do Tio falecido e age como um mercenário cruel que deu muito trabalho para o Herói robótico. Mas o que o fez passar pro lado do crime? Como sempre, a culpa é do Homem-Aranha. Continuem lendo mas saibam que terá Spoilers da história.

Bem vindos ao Jurassic Park

Sempre digo que apesar de ser difícil  escolher meu filme preferido,tenho minha “Santa Trindade”.Três filmes que não importa quantas vezes eu assista nunca vou me cansar. São os que assisto ao menos uma vez por ano.Dois deles já ganharam posts ha algum tempo aqui no Clarim: Tubarão e De volta para o futuro (Considero os três filmes como um só) .Mas ainda faltava um e agora para pagar essa “dívida”,entrem em seus carros elétricos,torçam para a energia não cair e adentrem no mundo de 65 milhões de anos atrás.

O milionário John Hammond (Richard Attenborough) usa técnicas de engenharia genética,clonagens  e etc para realizar o sonho de muita gente: trazer os dinossauros à vida. Claro que ele pretende lucrar em cima disso e abre um “zoológico” ao ar livre na Ilha Nublar,o chamado “Jurassic Park” Mas antes de ter permissão para funcionar, ele precisa do aval de especialistas é aí que entram o paleontólogo Allan Grant(Sam Neill),a Paleobotânica Ellie Sattler(Laura Dern)  e o Matemático Ian Malcolm(Jeff Goldblum). Eles vão fazer um Tour experimental pelo parque para ver se estava tudo como manda as normas de segurança e coisas assim.Obviamente as coisas saem um “pouco” do controle e eles terão de lutar para não serem extintos.

O filme de 1993 é tecnicamente perfeito em todos os sentidos! Mas meu lema é “Vamos por partes”.
Um dos maiores(Se não o maior)acerto do filme foi optar por usar animatrônicos nos Dinos. Acredito que  por melhor que seja as técnicas de CG ,nunca vão se comparar com algo “real”. Um exemplo que sempre cito é a série Alien.Quando faziam os alienígenas com bonecos ou fantasias as cenas eram mais críveis.Depois que passaram para o CG que é mais fácil,os bichos ficaram  tão reais quanto uma nota de 3 reais.No caso de Jurassic Park, cenas que entraram pra história do cinema como o ataque do T-Rex não teriam o mesmo impacto.Tudo bem que o bichão ficava travando o tempo todo por causa da água,mas ao menos vemos que ele está alí. Isso ajuda até na interpretação dos atores.o Sam Neill disse uma vez que por mais que ele soubesse que o T-Rex era apenas um boneco animado, devido a todo o ambiente quando o T-Rex chegava perto,o medo que ele sentia era real.

E falando nos atores,esse é um daqueles casos onde a produção foi extremamente feliz na escolha do elenco: Todo mundo está perfeito o que faz com que seja impossível visualizar o filme sem ser com esse pessoal.Claro que a direção do Spielberg ajuda pois todos sabemos da competência do diretor mas se não fossem os atores certos para trazerem os personagens à vida,acho que não seria a mesma coisa.Ou vão dizer que vocês não arrepiam com os olhares dos personagens quando eles vêem os dinossauros pela primeira vez?
Toda a fotografia do filme também merece elogios.A construção dos cenários,nível de detalhes é de impressionar até o mais desligado do espectador.

Jurassic Park mescla uma boa história com cenas grandiosas que se eu fosse citá-las aqui ficaria escrevendo até amanhã.Pra citar só as maiores, temos além do já citado ataque do T-Rex os outros “astros” pelo lado dos Dinossauros: os Velociraptores.E toda a sequência final com esses dinossauros te faz ficar grudado na cadeira.

Mas um filme por melhor que seja, não seria nada sem uma trilha sonora marcante.E também nesse quesito não há do que reclamar.Muito pelo contrário: composta por John Williams toda a trilha de Jurassic Park é fantástica e acompanha o ritmo do filme como toda  trilha sonora deveria fazer.

Jurassic Park é baseado no livro de mesmo nome escrito por Michael Crichton e publicado em 1990 e como toda adaptação tem algumas diferenças em relação ao livro mas diferente da continuação,”O mundo perdido” ainda mantém a história básica inalterada.Em certas partes a versão do livro fica muito arrastada o que fez com que tivessem de dar uma acelerada no ritmo para o cinema.Mas queria que tivessem mantido a cena da perseguição no rio e o trecho com os Pterodátilos.Iriam ficar muito boas na telona. Em compensação as mudanças na personalidade de alguns personagens foram bem vindas.Mas se puderem, leiam o livro também. A L&PM lançou por aqui em formato Pocket e você o encontra baratinho em sites como o da Saraiva ou nas livrarias.

Eu podia ficar aqui escrevendo eternamente e não ia conseguir passar tudo que esse filme significa pra mim.Tudo bem que de 94 pra cá já descobrimos muito mais sobre dinossauros e o visual do filme está desatualizado mas isso não importa nem um pouco.Os efeitos ainda estão atuais e torço para que nessa onda de filmes voltando aos cinemas,com o 20º aniversário do filme se aproximando,ele ganhe sua conversão e eu possa pagar minha dívida de nunca ter assistido ao filme no cinema (Sim! Eu não presto!)
Um clássico totalmente recomendado.

O Mundo Ideal de Aladdin

   Pode parecer estranho mas eu nunca fui fã dos filmes animados da Disney.Rei Leão,Bela e a Fera,Pequena Sereia,Bernardo e Bianca,Dama e Vagabundo e outros nunca me chamaram a atenção.Mas como dizem: toda regra tem suas exceções e neste caso,ela atende pelo nome de Aladdin.
Aladdin é baseado no famoso conto das Mil e Uma Noites cuja história todos conhecem: O garoto pobre Aladdin é apaixonado pela princesa Jasmine.Sem muitas esperanças de se dar bem,o jovemvê a vida mudar quando é Enganado pelo conselheiro real,o malvado feiticeiro Jafar, e acaba  encontrando uma lâmpada mágica que quando esfregada liberta um amalucado Gênio que vai ajudá-lo a ter seus sonhos realizados.

Lançado em 1992(em Novembro completa 20 anos),Aladdin não faz tanto “barulho” como seus primos mais famosos mas pra mim é um filme perfeito: Tem uma ótima história,dosa momentos de ação,romance,comédia além de ter ótimos personagens como o macaquinho Apu,Iago e claro;o Gênio.aliás, o filme deveria se chamar “Gênio” já que o azulão simplesmente arrasa e rouba o filme desde o momento em que aparece.
Em parte graças à dublagem de Robin Williams no original e Márcio Simões aqui no Brasil.Sim! Porque quando é pra criticar vamos criticar mas quando merece elogios tenho de elogiar:

Aladdin teve sorte de ser lançado na época em que a dublagem brasileira ainda prestava e o desenho teve uma excepcional “Versão Brasileira” onde todos os dubladores fazem bem seus papéis mas 3 deles se destacam: .Rodney Gomes como Iago, (O dublador de trailers) Jorgeh Ramos que tem o vozeirão característico de um bom vilão e consegue passar toda uma ameaça que faz do Jafar um daqueles caras que você deve  temer e claro, o  já citado  Marcio Simões que está sensacional e tão doido quanto o Gênio.Ou seja: pode assistir Aladdin dublado sem medo porque ninguém estará apenas lendo os diálogos pra você.

Uma das coisas que sempre me afastou dos longas animados Disney foram as músicas.Não sou fã de filmes onde os personagens,do nada começam  a cantar feitos loucos e até o mais terrível vilão dá uma de concorrente de Show de Calouros. Então como explicar o fato de eu achar as músicas de Aladdin algumas das melhores já feitas?Todas as músicas são sensacionais! Em especial a maravilhosa “A Whole New World(Um Mundo Ideal)”. e olha que para eu gostar de música romântica é mais difícil que o Corinthians ser campeão da Libertadores mas essa é tão boa que consegue manter a qualidade, mesmo quando passada para outros idiomas.A original é linda,a versão nacional também é ótima,a Japonesa tem uma bela sonoridade.E isso pra citar só algumas.Não é à toa que essa música ganhou o Oscar de canção Original.Não dá pra cansar de ouvir.E no final do post um vídeo que comprova como a música é perfeita em qualquer idioma.

Em uma época onde animação significa 3D e os filmes da Pixar dominam o mercado,nada como assistir à uma tradicional animação 2D . Eu posso até não ser fã mas não há como negar que os longas animados da Disney sempre foram um primor em qualidade técnica e com Aladdin não é diferente: Animação fluída,belos traços,cenários estonteantes que produzem todo o clima das Mil e Uma Noites. Impecável.

 Aladdin rendeu duas sequências lançadas diretamente em vídeo :A ótima “O retorno de Jafar” e a fraquinha “Aladdin e os 40 ladrões” além de uma série animada que eu não gostei muito.
Aladdin também deu origem a ótimos jogos de Video-Games(A versão do Master System foi o segundo jogo que finalizei no console) e a tonelada de bugigangas que sempre estão atreladas a desenhos de sucesso.
  O desenho está prometido para ser lançado em Blu-Ray no ano que vem mas está disponível em uma bela edição em DVD duplo e que pode ser adquirida aqui . Quem sabe com essa onda de relançamentos dos clássicos Disney em 3D nos cinemas, Aladdin não ganhe uma chance ano que vem também.Estou torcendo por isso.
 Se existe alguém que nunca assistiu à esse clássico não sabe o que está perdendo. Totalmente recomendado! O  que o desenho merece? Bom,vou deixar o Gênio responder: