Fugitivos Episódio 07: Refraction

O Sétimo episódio da temporada de Fugitivos apesar de eu particularmente não ter gostado tanto quanto os outros, serviu pra não só dar continuidade aos eventos do episódio passado como também, encaminhar a história para o vindouro fim da temporada. Mas como sempre, vamos por partes:

Vai ter Spoilers

Primeiramente devo dizer que achei a história da Molly nesse episódio bem meia boca. Todo aquele tempo perdido dela com o time de dança dava pra ter sido melhor utilizado. Aliás, vale citar que a Molly é a personagem do núcleo adolescente que menos estou gostando na série. Até agora ela não serviu pra muita coisa além de botar tudo a perder deixando os Wilder descobrirem que ela viu a Reunião lá do primeiro episódio.  Sem contar que a Allegra Acosta é a atriz mais fraca até aqui. Todas aquelas caras e bocas, revolta aborrescente não convence nem um pouco.

O episódio também poderia facilmente ser exibido como um Spin Off de “Casos de Família”. Todo o rolo do caso da Janet com o Robert foi esticado além da conta. Só serviu pra mostrar como o Robert é um personagem desinteressante. Em dado momento achei que estava assistindo alguma novela Mexicana.

Uma coisa que detesto é quando pegam vilões e tentam dar uma “motivação” pra eles serem o que são. Porque pelo jeito não dá pra alguém ser mal só por ser mal. Uma das coisas mais legais dos quadrinhos de Fugitivos era que os Membros do Orgulho eram Vilões com V maiúsculo. Muitas vezes não se importando de passar por cima dos filhos. Aqui na série eles aparentam ser um bando de pau mandados. Tanto que armam pra tirar a Molly de cena para que o Jonah não descubra que ela sabe sobre eles.

No post do episódio passado comentei que ainda não dava pra saber muito bem sobre o tal Jonah. Agora as coisas começam a ficar um pouco mais claras: Ele vei pra ser o Vilão do seriado. A mente por trás de tudo e que, além disso, ainda tem soros milagrosos(e misteriosos) e distribui poderes por aí. E por enquanto isso está, em um palavreado bem técnico… Meh!

A parte bacana do episódio… ou pelo menos aquela que prendeu mais a atenção foi o do Victor Stein. A começar por revelar um pouco mais da relação dele com o Chase através de Flashbacks(Som do Lost). E também por ver os efeitos do Soro do Jonah nele e alterações constantes de personalidade que vai da alegria à raiva até culminar com a quase morte do filho no final. E isso porque não estou mencionando a mensagem do “Chase do Futuro” que ele recebeu. Será que era real ou uma ilusão da mente perturbada dele? Só o tempo dirá.

Antes de terminar , o “Momento Easter Egg” vem na forma do nome da Cafeteria que os personagens frequentam : Timely. Que era o nome da Marvel nos anos 40. E ainda nessa linha; o nome da Escola em que os personagens estudam(E onde se passa a maior parte desse episódio) é Atlas, outro nome que a Editora que viria a ser conhecida como Marvel usava em seus primórdios.

Com apenas três episódios restantes resta ver se vão finalizar a história ou deixar em aberto pra uma eventual segunda temporada.

Os Fugitivos tem seus episódios liberados todas as Terças na Rede de Streaming Hulu.