Os Defensores Derrapam Mas Não Caem.

Semanas atrás postei aqui minhas primeiras impressões da série dos Defensores após assistir aos quatro primeiros episódios. Agora, com a série devidamente finalizada, é hora de voltar a ela com mais liberdade de soltar algum Spoiler que por ventura seja preciso. Então vamos lá:

Eu comentei rapidamente no outro post o que achava das outras séries da Netflix então não vale a pena repetir tudo aqui novamente só quero dizer que pro nível que as séries vinham apresentando, Defensores foi uma boa surpresa. Ok. Tem defeitos, Furos de roteiros, coreografia mal feita mas ela, diferentemente da aberração que foi Punho de Ferro por exemplo, consegue divertir.

Achei que todos os personagens principais tiveram seus momentos ao longo do seriado. No geral foram bem utilizados para o que a trama pedia de cada um. Demolidor e Jessica Jones foram, pra mim os melhores. No caso do “Atrevido” não é muito surpresa já que, mesmo a segunda temporada de seu seriado terem tidos momentos bem fracos a culpa não foi do personagem em si. Já Jessica Jones era uma de quem eu não esperava nada já que achei seu seriado bem meia boca e sonolento.

O erro lá foi não terem usado muito da faceta investigadora da personagem e focarem muito no Killgrave que, apesar de ter sido interpretado muito bem pelo David Tennant, teve todo o potencial do personagem sub-utilizado. Aqui vemos a Jessica investigando, indo atrás das coisas mesmo com alguns Deus Ex-Machina aqui e ali. E até a personalidade dela estava diferente e menos chata. Se livrar do Killgrave fez bem pra garota.

Luke Cage é aquilo: Ele tá lá pra dar porrada. O problema é que falta carisma pro personagem. Isso já vinha de seu seriado mas aqui ele estava pra lá de deslocado. Ele é o típico personagem que classifico como “Não fede e nem cheira” se não empolga pelo menos não dá raiva… diferente do quarto Membro do grupo.

Ah… Danny Rand… como um só personagem pode ser ao mesmo tempo Irritante, desinteressante, Birrento,Burro, sem carisma, um estorvo e mais um monte de adjetivos que poderia ficar horas aqui citando. Ele trouxe todo o aborrecimento que foi aguentar o personagem em seu seriado próprio pra cá. O pior é que a trama gira em torno dele mas ele é tão inútil que só serve pra atrapalhar. Mas enfim, deixa eu parar de falar mal do Infeliz ou vão me acusar de não ter gostado da série como fizeram no texto anterior.

Mas aproveitando esse bloco pra falar de mais pontos fracos do seriado se passa, em teoria, no MCU e como tal, temos o velho problema dos Vilões. Tirando a Madame Gao que ainda tenta fazer alguma coisa…Aliás, tadinha da Velhinha, vem tentando desde Punho de Ferro. Mas enfim: Pra uma Organização com zilhares de anos de experiência nas costas, os chefões do Tentáculo são um bando de baratas tontas. Nem a Alexandra interpretada pela Sigourney Weaver salva. Eles ficam de enrolação e na prática não fazem nada. E a primeira vez que tentam agir, já perdem um dos membros.

Se tem alguém que pode rivalizar com o Danny no posto de pior personagem das séries Netflix é a Elektra. O arco dela em Demolidor já foi mais fraco que macarrão molhado e aqui em Defensores isso não melhora muito. Ao menos serve pra ter uma cenas de luta razoavelmente boas(O que não podemos falar sobre o Punho de Ferro) mas, tirando isso a personagem não mostrou a que veio.

Uma coisa que se tornou lugar comum das séries Netflix é sua enrolação. O roteiro não consegue ir do ponto A ao Ponto B sem ficar rodando em círculos intermináveis. Achei que, por ter apenas 8 episódios e não os 13 das séries normais isso ia ser resolvido mas foi um ledo engano. A mesma história dava pra ter sido contada em 5 ou seis episódios sem problemas. Mas como eu disse, isso nem me surpreende mais.

Mas agora vamos pra parte boa: Gostei bastante da relação entre o Trio Protagonista(E o Danny). A forma que se encontram, agem em equipe(Ou nem tanto em equipe) foi bem feita. Até o Danny tem seus lampejos de utilidade (Pasmem) como na primeira luta com o Luke e alguns poucos diálogos entre os dois que (quase) chega perto de lembrar a parceria que os personagens têm nos quadrinhos.

Como comentei no outro post gostei do jogo de luzes que usam pra diferenciar um personagem dos outros. Dando toda uma aura de individualidade pra cada um deles.

Os coadjuvantes também estão presentes mas no fundo são só pra mostrar que não esqueceram deles pois na prática, não servem pra muita coisa. Isso quer dizer, à exceção da Colleen e da Misty que chegam a participar efetivamente da história. Ah. E tem a Claire, personagem que obrigatoriamente tem de estar presente nas cenas mesmo que não tenha razão alguma pra estar lá.

Agora é esperar pela série do Justiceiro, esse sim meu personagem preferido desse Universo “MCU que não é MCU”. E por falar no Justiceiro não espere por uma aparição dele em Defensores, Aquela cena em um dos trailers não passou de propaganda enganosa.

Enfim, apesar de seus erros, Defensores ainda consegue ficar no positivo. Abre possibilidades a serem exploradas nas próximas temporadas solos dos personagens(Vide a cena final da série) Se não tivesse o Punho de Ferro e fosse menos enrolada seria ainda melhor.

Todos os episódios de Defensores estão disponíveis na Netflix.