Os Defensores: Primeiras Impressões Sem Spoiler

Assisti aos 4 (De 8) primeiros episódios de Defensores, nova série da Marvel/Netflix e farei uns comentários rápidos já que não posso comentar nada sobre detalhes da trama em si.

Não é segredo que, em relação às séries da Marvel/Netflix, adorei a primeira temporada de Demolidor e o arco do Justiceiro na segunda temporada, gostei da primeira metade da série do Luke Cage, não gostei do arco da Elektra, metade final de Luke Cage e da série da Jessica Jones e odiei com todas as forças Punho de Ferro. Ou seja, num saldo geral, o “placar” está pendendo pro negativo.

Foi com esse espírito pessimista que me preparei pra Defensores. E posso dizer que gostei do que vi nesses quatro primeiros episódios.

Não é Spoiler que Defensores serve pra juntar os quatro personagens principais das séries anteriores(Se você não sabe disso, o que está fazendo lendo um site “Nerd”?) e a série mais acerta do que erra nessa empreitada. No primeiro episódio vemos um panorama geral para situar onde estão e o que esses personagens andaram aprontando no período que separa suas respectivas temporadas ao início de Defensores. Logo acontecimentos que parecem não ter relações acabam colocando-os num mesmo caminhos onde vão precisar aprender a se tolerar e trabalhar juntos(Não deve ser fácil tolerar o Danny).

Pra mim, um dos maiores problemas dessas séries é a enrolação além da conta. Aqui até temos um pouco disso: Algumas situações demoram a se resolver. Esse pessoal não consegue ir direto ao ponto sem dar umas três voltas. Mas como Defensores terá “apenas” oito episódios e não os treze tradicionais das séries anteriores, a já citada “Encheção de Linguiça” é menos enfadonha que por exemplo Jessica Jones.

Já que mencionei a Srta Jones, vale citar que eu gostei da forma que ela foi trabalhada aqui. Sem ter o vilãozinho que curte brincar de casinha enchendo seu saco, ela pode se dedicar mais à sua faceta de Investigadora, que aliás é uma das poucas coisas legais da personagens até nos quadrinhos (E lá temos o agravante que as histórias são do Bendis onde, pra abrir um arquivo, ela leva 7 edições e 3 Tie-ins).

Tirando o Danny que não tem salvação, os outros dois integrantes heróicos do elenco também estão bacanas. Só achei o Matt meio perdido igual um… Cego em tiroteio(Desculpem. Não resisti) Temos coincidências que levam os personagens ao mesmo ponto  mas a dele achei a mais, como dizem por aí, “Deus Ex-Machina”.

 

Os vilões são, por tradição o ponto que menos costumo gostar quando o assunto é MCU. Aqui ainda estamos num ponto “Nem fede nem cheira” Apesar de aparentar que têm um plano, até agora estamos mais no escuro que o Matt (Ele pelo menos tem o Radar). Mas deixarei pra falar quando puder comentar a história em si.

Normalmente não comento sobre a parte “técnica” das produções até porque eu não entendo lhufas e prefiro me ater apenas o lado público e deixar isso pros críticos (Mesmo os formados nas Faculdades de Cinema Facebook). Mas abrirei uma pequena exceção porque quero comentar duas coisas que gostei: A primeira é a transição entre as cenas que são feitas usando cenas da cidade de Nova Iorque num efeito que passa a impressão que estamos olhando através de uma lente que é trocada de cena em cena. Acho que pra simbolizar o segundo ponto que vou comentar que são as cores: Como foi deixado claro desde o primeiro teaser, existe uma cor pra simbolizar cada personagem e nas cenas solo de cada um é aplicado um “filtro” na câmera que deixa a atmosfera com um visual todo particular.

Mas é isso.  Defensores não é perfeita? Não. Tem seus problemas ? Sim. Coincidências e coisas que acontecem porque o roteiro precisa que aconteça senão a história não anda. Algumas cenas confusas… mas num balanço geral eu curti bastante a ponto de assistir aos quatro episódios em sequência sem conseguir parar. Quando eu assistir ao resto da temporada, volto com um texto mais completo e aí sim, citando as cenas nominalmente.

Defensores estreia dia 18 de Agosto na Netflix.