Pato Donald: A Cidade Fantasma

Chegamos ao quarto volume daquela que é meu xodó em termos de coleção atualmente. Então sem mais delongas, vamos falar um pouco sobre algumas histórias de “A Cidade Fantasma

Capa

Pra começar, é válido citar que essa é a primeira das edições já publicadas no Brasil que é formada apenas das histórias curtas (10 Páginas) da Walt Disney’s Comics And Stories portanto são 20 histórias e até por isso, é o volume que tem mais páginas de textos explicativos. São quase 40 páginas. As histórias foram publicadas originalmente entre Dezembro de 1953 e Junho de 1955 . Veja o índice completo aqui.

Na  última edição quando comentei sobre a ” Em busca do Unicórnio” mencionei o fato de duas passagens dela terem sido reutilizadas posteriormente em outras histórias e, por coincidência, as duas se encontram  nesta edição: A Pesca do Salmão(The Salmon Derby) e O Azar do Sortudo (Raffle Reversal). Pra quem não conhecia as histórias, vale dar uma lida nas três em sequência.

Banho

Vou usar a sequência da imagem acima, retirada da história Espírito Esportivo para comentar sobre a velha dúvida/piada envolvendo os quadrinhos Disney que diz “Porque o Donald se enrola numa toalha quando sai do banho se o resto do tempo ele não usa nada da cintura pra baixo?” (Engraçado o fato de quererem achar uma “lógica” em algo assim mas o fato de um monte de Patos andar e falar como humanos tá de boa.)

Há uma espécie de regra não escrita no que diz respeito aos quadrinhos Disney que diz que um personagem só será considerado pelado se não tiver nenhuma peça de roupa  no corpo. Por isso no dia a dia, quando usa sua camisa de marinheiro, Donald(e os outros Patos) está vestido, não importando que não tenha nada da cintura pra baixo. E quando ele tira essa camisa, a Toalha faz o papel de não deixar o personagem peladão por aí.

Faz tudo

Algumas das minhas histórias preferidas do Donald são aquelas que mostram ele como Perito em alguma profissão até, claro, botar tudo a perder no final da história. Há várias histórias do tipo que mostram o Pato sendo desde artista aéreo até Cabelereiro. Passando por Demolidor (não o personagem da Marvel e nem o filme com o Stallone) e muitas outras expertises. “O Faz-Tudo” pode ser considerada a origem dessas histórias.

Ok, em Fevereiro de 54 quando a história foi publicada, já tínhamos “As chuvas chegaram“. A história que mostra o Donald como um Fazedor de Chuva, havia sido publicada em Setembro do ano anterior e efetivamente é a primeira desse tipo. Entretanto, gosto de considerar a “O Faz-Tudo” como uma espécie de origem delas porque aqui, o Donald apenas ACHA que é bom no ofício. Diferente das outras onde ele efetivamente domina o que se mete a fazer.

Faz tudo

Na sessão “Roteiros readaptados” dessa edição destaco a história “Como se faz um despejo“.  Publicada em Dezembro de 1953, a história mostra o Tio Patinhas tentando comprar a Casa do Donald. Seis meses depois em Junho de 1954, tivemos a história “O Mistério de José Constantino” Publicada em Uncle Scrooge 6, a história mostra o Tio Patinhas… tentando comprar a Casa do Donald. Tudo bem que o desenvolvimento das duas é diferente mas o tema é o mesmo. Eu já  havia comentado nos posts anteriores sobre esses reaproveitamentos de ideias do Homem dos Patos mas não lembro de outro caso que isso tenha acontecido com tão pouco espaço de tempo entre uma e outra.

venda

Deixei por último a  história que dá nome ao volume pois há dois comentários que quero fazer: Uma coisa interessante em se notar na obra do Barks é que, como as histórias não estão presas a uma cronologia, são raros os casos em que há uma citação de uma história em outra(Quando um desses casos for  publicado, eu comento mais). Assim como o comportamento dos Patos mudam de acordo com a necessidade do roteiro. Um bom exemplo disso é essa “A Cidade fantasma” :

No começo da história Donald se zanga com os meninos por eles estarem assistindo filmes de Faroeste pois, segundo ele, esses filmes são uma droga por não retratarem como os Cowboys eram de verdade. O caso é que existem várias histórias onde os papéis se invertem e é o Donald o Maníaco por filmes de Velho-Oeste e os Trigêmeos têm coisas mais importantes pra fazer. Não é preciso nem ir muito longe: Na história “O Xerife do Vale Balaço“, publicada no volume “O Segredo do castelo” o Donald comenta que entende do Oeste Bravio devido ao fato de já ter visto todos os filmes de Cowboys existentes (Abaixo quadrinhos das duas histórias em questão).

faroeste

Durante a história, Donald e os meninos se deparam com o Velho Xerife Cospe-Fogo(No original, Wild Bill Trueshot)  da Cidade fantasma do título. O Representante da Lei sofre de Soluços crônicos e vivia escondido por temer que as pessoas fizessem piada chamando-o de “Cospe-Fogo Soluço”. Em Inglês ele usa “Wild Bill Hiccup”, uma brincadeira com Wild Bill Hickok, um famoso personagem histórico da época da Guerra Civil Americana e com o fato de “hiccup” significar “Soluço”.

Não foi a única vez que o nome Wild Bill Hiccup esteve às voltas com seres emplumados: Há um episódio de Pica-Pau exatamente com esse nome. As “coincidências” não param por aí: Ambas histórias têm o Velho Oeste como fundo (até pelo personagem “Homenageado”) e  os dois Wild Bill Hiccup  se passam por fantasma para assustar seus adversários de Penas. Vale lembrar que “A Cidade Fantasma” é de 1955 e o episódio de Pica-Pau, de 1970.

Wild

 

Pra finalizar, “A Cidade Fantasma” foi mais uma bela edição e é também a mais recente lançada lá fora. Mas calma que devido ao lançamento aleatório a Abril ainda tem várias edições pra lançar, incluindo as do Tio Patinhas que começarão a sair ano que vem.

Agora vamos esperar o Próximo volume: O Papagaio Contador.