Thor Ragnarok

O Terceiro filme do deus(Ou seria lorde?) do Trovão chegou aos cinemas com uma pegada totalmente diferente dos dois filmes anteriores. Mas isso é bom ou ruim?

VAI TER SPOILER!

Devo admitir que nada na divulgação desse filme me empolgou. O Thor é um dos poucos personagens da Marvel que não gosto. Nunca vi graça nas histórias.  Desde a primeira imagem divulgada até o último trailer, acompanhei a divulgação do filme com um sonoro “Meh!”. A expectativa para o filme era praticamente inexistente. Fui assistir apenas pra “cumprir tabela”. Isso ajudou no fato de ter gostado do filme. Apesar de ter algumas/muitas ressalvas.

É inegável que os dois filmes anteriores do Thor são o ponto baixo do MCU. Se os filmes não chegaram a ser ruins, ficaram no limiar disso. Ao contrário, Guardiões da Galáxia foi um sucesso de público e crítica. Por serem personagens completamente desconhecidos até entre fãs de quadrinhos, surpreenderam com todo aquele clima que ambos os filmes trouxeram. Então qual a ideia “brilhante” dos executivos do MCU? “Bora transformar o Thor em um Guardiões da Galáxia 2.5” Então taca cor, piada, trilha sonora afinal, o que pode dar errado?

Uma das coisas que acabou me afastando dos quadrinhos foi a mania de pegarem um personagem e, ignorando tudo que já havia sido feito até ali, transformarem ele em alguma coisa completamente genérica só mantendo o mesmo nome. E foi exatamente o que fizeram em Thor Ragnarok: Se você pegar o Thor, em suas aparições anteriores, tínhamos um personagem que, aqui em Ragnarok parece ter sido completamente alterado apenas porque o roteiro assim o quis: Chris Hemsworth está praticamente interpretando o Star Lord, personagem do outro Chris de Guardiões. Tirando um ou outro momento, você não consegue enxergar o Thor que havia sido mostrado até então no MCU.

E não! Não tenho nada contra o humor dos filmes do MCU. Aliás até gosto afinal são filmes de quadrinhos e quadrinhos são pra divertir. Piadas bem encaixadas são sempre bem vindas…O problema de Thor Ragnarok é que tem MUITA, MUUITA piada. E grande parte delas são do nível filme do Adam Sandler ou daquelas comédias do tipo “Espartalhões”. Isso sem mencionar os momentos em que são colocadas e que acaba quebrando o clima que a cena tinha de ter. Um exemplo claro é no momento em que Asgard está sendo destruída e o Korg fica soltando piadinhas sem graça. E por falar em Korg…

Vi uns comentários de pessoas elogiando tanto o Korg quanto o Miek. Com o Kevin Feige(Chefão do MCU… Quer dizer, do Marvel Studios porque chefão do MCU é o Tony Stark) inclusive cogitando a possibilidade de um curta centrado nos dois. Depois de ver o filme fiquei me perguntando: O que diabos viram nessa dupla? O Korg é um chato de galocha que não faz nada além de ter voz de adolescente. Não que eu tenha propriedade pra criticar voz de alguém mas pqp! Ficou parecendo versão dublada onde a Viúva Negra tem voz de uma menina de 13 anos. E o Miek… Nem tem o que falar. Se o Korg não faz nada, o Miek é pior. Inclusive terminei o filme e não distingui a forma desse bicho de tão meia boca que é o CG.

Sim. O CG é bem meia boca. E nem precisa esperar muito pra comprovar isso. Já no começo na luta com os capachos do Sutur já podemos ver um monte de boneco mal feito levando porrada de outro boneco mal feito. Acho que a grana da CG ficou toda na luta do Thor com o Hulk.

Inclusive, a parte retirada de “Planeta Hulk” foi a melhor  do filme. A luta entre o Thor e o Gigante Esmeralda foi muito boa. As piadas que tem são bem encaixadas e pontuais(Destaque pro Loki) e até o CG ficou bem feito… Mas parou aí.

Já os Vilões…ah…os vilões… Não é segredo que considero os vilões dos filmes MCU um bando de decepções ambulantes. Como costumo dizer,  tirando uma ou outra rara exceção, o Vilão está na história apenas pra poder sair na porrada com o herói no final.

Thor Ragnarok tem três e dos mais diversos tipos:

 

O “Nem fede nem cheira”. Esse título vai pro Grão-Mestre. Até porque vamos combinar, o personagem nunca foi lá muito profundo nem nos quadrinhos. Então ele cumpre seu papel de organizar porradaria no chamado “Torneio de Campeões”… Que aliás sempre esteve muito ligado ao Grão Mestre.

“Padrão MCU de Vilania” : Aqui temos o Executor do Karl Urban. Ele é aquele tipo de personagem que se fosse limado da trama não faria a menor falta. Ele só fica andando pra cima e pra baixo atrás da Hela(Nos quadrinhos é a Encantor) e, quando resolve fazer algo de útil, morre miseravelmente.

E finalmente o Vilão “É bom(Nem parece MCU). Mas desperdiçado“. Ou melhor dizendo: A Vilã! A Hela da Cate Blanchet. A atriz manda bem demais. A personagem parece ameaçadora desde sua primeira aparição onde ela já arrebenta o Mjolnir com uma mão só. O problema é que ela fica totalmente em segundo plano e mal interage com os protagonistas. Aí quando lembram que precisa ter uma cena de porradaria, o filme está perto do fim e tudo acontece de forma rápida e sem tempo do expectador realmente sentir o que está acontecendo.

Mas Thor Ragnarok está longe de ser um filme ruim e inútil. Um pouco fraco, talvez mas ruim não. Temos a Valkíria da Tessa Thompson que é uma personagem legal. Temos uma trilha sonora muito boa.

Thor Ragnarok também resolve algumas pontas soltas que haviam ficado em aberto no MCU, como a presença da Manopla do Infinito no cofre do Odin e responder o que aconteceu com o Hulk que havia sido visto por último partindo para o espaço no final de Era de Ultron.

E por falar em Hulk, eu gostei do personagem aqui em Thor. Ele está quase como uma criança como era a personalidade do personagem lá pelo fim dos anos 70, início dos 80. A diferença é que lá, ele era uma criança daquela época e aqui, uma atual. Ou seja: Birrenta. Mas curti a interação, tanto dele quanto do Banner, com o Thor.

E ainda no campo das participações especiais, temos também o Dr. Estranho na cena que faz ligação direta á cena pós créditos do próprio filme do mago Supremo.

Uma coisa que vale citar como curiosidade é que, com Valquíria, o Hulk e o Dr.Estranho, esse filme do Thor ficou quase um filme dos defensores dos quadrinhos(Só faltou o Namor e o Surfista Prateado)

E antes de encerrar também vale menção para o visual do filme que é referência direta ao estilo do Kirby. Com todo o colorido e “espalhafatosismo” que o artista gostava de fazer(Tenho quase certeza que o Thor derruba um Mini Galactus em certo momento do filme).

No final, se Thor Ragnarok não é um filme que vai deixar sua marca, ele cumpre a missão de divertir, e entregar a trama Thanos fechada pro Vingadores Guerra Infinita, como a primeira cena pós créditos deixou claro…A segunda cena não merece nem comentários…

Saí do Cinema achando que ele tinha sido o melhor filme do MCu do ano mas parando pra pensar, Guardiões da Galáxia Vol 2 ainda gostei mais. Mas ainda assim, Thor Ragnarok é superior aos dois filmes anteriores(Só por não ter romance  já ganha pontos comigo) , vale a assistida.

 

  • Gibson Viana

    A trilha sonora é boa tipo nivel dos vingadores? Fica na cabeça?

    • Wellington Macgaren

      A trilha sonora que me referi é a das músicas cantadas mesmo. Aquelas trilhas instrumentais do próprio filme são, como geralmente sãoo as dos filmes do MCU, completamente esquecíveis.

      • Gibson Viana

        MCU com suas trilhas sonoras genéricas e os vilões meia bocas, pelo menos esse problema com os vilões está se corrigindo, antes tarde do que nunca.