Vingadores Sob Ataque

Por mais que eu já não compre (nem leia) muita coisa do gênero, não dá pra negar que temos uma avalanche de lançamentos envolvendo Super-Heróis. Só de  capa dura temos  três coleções sendo despejadas nas bancas brasileiras (E a promessa de vir mais por aí) além de lançamentos pra todos os gostos.

No meio dessa enxurrada de títulos, a edição 48 da Coleção “Os Heróis Mais Poderosos Da Marvel”( a popularmente conhecida por “Capa Vermelha”) pode acabar passando batida devido à capa genérica mas não se engane: Ela traz aquele que é, pra mim, o melhor arco dos Vingadores.

Vai ter SPOILER

Vespa capa

O Barão Helmut Zemo resolve reaproveitar a ideia de seu falecido Pai e recriar os Mestres do Terror, um grupo de vilões que, cansados de levar porrada sozinhos, decidem se unir pra tentar ver se “dessa vez, vai”.  Mais ou menos o equivalente ao que o Sexteto Sinistro é pro Aranha( Ou o contrário já que os Mestres do Terror vieram primeiro). Com duas diferenças: Ele tenta planejar uma estratégia melhor e segundo: Junta o maior número de vilões que estejam disponível e bota todo Mundo pra cima atacando em diversos flancos.

Primeiro elimina os Vingadores mais poderosos: A Capitã Marvel (A que vale. Não essa sem graça de hoje) é presa na dimensão de Matéria Negra (Lembram de Agent Carter?)  pelo vilão Blecaute ao mesmo tempo, que Mister Hyde, a Gangue da Demolição  e o  Golias espancam o Hércules até deixá-lo em coma.

Com isso os 9204398 vilões restantes invadem a Mansão dos Vingadores, capturam o Jarvis e, pouco depois,  o Cavaleiro Negro e  até o Capitão América. E, enfim têm  sucesso em derrotar os heróis… Ou era o que parecia.

A vilanada reunida

A vilanada reunida

Apesar da Vespa estar longe de ser uma personagem popular, há uma razão para que a edição que traz o arco encadernado leve seu nome: Os Vingadores tinham a política de, de tempos em tempos, revesar a liderança da equipe e nessa época era a “gestão” da Sra. Van Dyne. E, durante toda a história (Algo que já vinha de histórias anteriores) há a desconfiança de que ela daria uma boa líder. Principalmente em relação ao Hércules pois “Como pode o Príncipe do Olimpo ser comandado por uma mulher!!!*Vira uma jarra de cerveja*” Ao longo das histórias vemos esses conflitos muitas vezes até ela mesmo se questionando se não seria uma responsabilidade grande demais . Mas aos poucos ela se mostra digna da função.

under siege 3

 

Houve uma época em que apesar de serem chamados de “Os Heróis Mais Poderosos Da Terra” os Vingadores tinham em suas fileiras  membros que, sozinhos,em nada justificavam esse título. Ou alguém vai dizer que buchas como o Triatlo era alguém digno de nota? E era exatamente isso que me atraiu e sempre gostei no grupo. Diferente da versão mais moderna pós queda( E que chamo “carinhosamente” de Vingadores Caça-Níqueis) cada um desses heróis “menores” tinha de se provar dignos do grupo e a maioria não tinha seus títulos solo pra alardeá-los. Todos eles em batalha mostravam seu valor e o porque estarem na equipe.

Sob ataque traz justamente isso como plot principal: Temos a Vespa tentando ser uma boa líder, Um ainda não tão experiente  Scott Lang tentando fazer jus ao seu antecessor , o Cavaleiro Negro lutando contra seus próprios demônios e um Dr. Druida tentando se redimir de erros do passado. Cada um deles, sozinho talvez (Ou com certeza) não significam muita coisa mas tudo muda quando estão unidos e é aí que os Vingadores funcionam como um organismo só onde cada um tem seu momento de brilhar.

Under siege 2

Outro ponto positivo de “Sob Ataque” é que ela está cheia de momentos marcantes: O próprio linchamento do Hércules é brutal e é uma coisa que você não espera afinal…é o Hércules! Mas pra mim o que mais chocou na primeira vez que eu li foi o que fizeram com o Jarvis: Vê-lo ser espancado sem piedade pelo Mr. Hyde é  pesado. Ainda mais levando em conta que a cena serve como uma tortura para o Steve e o Dane que são obrigados a assistir . E vale lembrar que o Jarvis é um humano normal logo, ele ter sobrevivido só mostra que ele veio do mesmo planeta ancião da Tia May.

O Capitão América inclusive é responsável pela quota de “drama” da história: Durante a invasão o Zemo encontra os pertences do Steve. Pertences que se tratam das poucas coisas que ele mantinha como lembrança de sua vida pré-Bloco de gelo. Inclusive a única foto de sua Mãe. E o Zemo faz questão de destruir tudo na sua frente.  No fim da batalha toda a cena dele chorando sobre os objetos perdidos é bastante emotivo . Pena que até isso os roteiristas pós 2000 conseguiram desfazer. Depois não entendem porque não gosto das histórias dessa época.

under siege 6

 O roteiro encontra tempo até pra mostrar coisas que seriam desenvolvidas mais pra frente como o constante conflito entre a Rocha Lunar e o Zemo. Conflito que se estenderia até a época dos Thunderbolts. Aliás  falando nos Thunderbolts vale citar que a primeira formação do grupo é composta por vários dos vilões dessa formação dos Mestres do Terror até porque não sobrou muito vilão que não estivesse nessa formação.

Apesar de algumas edições antes já vermos os vilões aos poucos se reunindo, o arco efetivamente pega as edições 273 a 277 da revista dos Vingadores. E são cinco edições onde não sentimos as coisas se arrastarem além da conta ou corridas demais. Tudo que acontece tem uma razão e acontece em seu tempo. Todos os personagens têm sua função na história. Seja nos planos do Zemo, seja na retomada dos Vingadores.

Não dá pra esperar menos de um roteirista do nível do Roger Stern. A arte de John Buscema também é ótima como de costume. Sendo bem clichê, esse é um daqueles casos em que a arte casa perfeitamente com o roteiro e a leitura flui naturalmente.

avengers-us

 

Sob ataque foi, talvez a principal história que fez com que eu me tornasse fã do grupo. Ela tem tudo que considero essencial em uma história em quadrinhos e relê-la para escrever esse post  me trouxe a mesma sensação que eu tive nas diversas outras vezes em que a li. Algo que por exemplo não chegava nem perto de sentir quando ainda lia os Vingadores Caça-Níqueis. E é por isso que é a minha história preferida dos Vingadores e uma das minhas preferidas da Marvel em geral.

under siege final

 

Ps. Imagem da Capa da edição da Vespa tirada por Renato Frigo e postada no Facebook.